Informações

A Pós-Graduação e a Implementação de Exames de Proficiência Desenvolvidos no Brasil

A avaliação da proficiência em línguas estrangeiras integra o processo de seleção para Programas de mestrado e doutorado desde o Parecer nº 977/65 C.E.Su., aprovado em 03/12/65 (www.capes.gov.br). Tal parecer se baseia na avaliação da capacidade de leitura em língua estrangeira, considerada uma ferramenta fundamental para as demandas inerentes a um curso de pós-graduação, o qual, por sua própria natureza, implica em alta seletividade intelectual.

Quanto aos métodos de instrução, à maneira de se administrarem os cursos e às condições definidas para a obtenção do grau, notam-se sensíveis variações de universidade para universidade, e mesmo de Programa para Programa em uma mesma instituição. Assim, o MEC (Ministério da Educação e Cultura), CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) ou outras agências de fomento à pesquisa não interferem no arbítrio dos Programas quaA Pós-Graduação e a Implementação de Exames de Proficiência Desenvolvidos no Brasilnto aos critérios a ser adotados para a avaliação da proficiência. Não interferem, não regulamentam  e também  não  indicam ou garantem quaisquer instrumentos de avaliação, o que dá liberdade aos Programas para as adequações que contemplem suas especificidades.

A inexistência de regulamentação possibilita uma grande variedade de procedimentos, tipos de exames, datas e critérios. Os únicos exames que há até poucos anos possuíam trânsito entre diferentes universidades e Programas eram os exames de proficiência internacionais, geralmente os mesmos requeridos para bolsas para o exterior, apesar de muitas vezes esses exames não corresponderem às necessidades dos processos seletivos para ingresso na pós-graduação e por terem um custo elevado para os candidatos.

Com o objetivo de desenvolver no Brasil exames de proficiência que pudessem ser comuns a diversos programas, de diversas universidades e de diversos estados, foi criada em 2000 a TESE Prime – Sistemas de Avaliação Linguística, a primeira instituição brasileira devotada exclusivamente ao desenvolvimento e administração de exames de proficiência em idiomas. Seu primeiro fruto, o TEAP (Test of English for Academic Purposes) 

A Pós-Graduação e a Implementação de Exames de Proficiência Desenvolvidos no Brasil

foi concebido em uma tese de doutorado e é hoje aceito por programas de pós-graduação das principais universidades brasileiras. Isso tem trazido benefícios tanto para alunos e candidatos, que podem prestar o exame em diversas datas e locais, quanto para os Programas, que podem utilizar um instrumento independente, confiável e desenvolvido especificamente para este fim.

O TEAP e os outros exames da TESE Prime são aplicados em Centros Autorizados credenciados, em formato digital que conta com mecanismos de segurança ainda inexistentes mesmo em exames internacionais. A TESE Prime possui abrangência nacional, com Centros Autorizados em mais de 50 cidades, e internacional, pois o número crescente de parcerias entre universidades brasileiras e de outros países levou a TESE Prime a organizar aplicações no México, Chile, Equador, Estados Unidos, Japão e Colômbia (onde há dois Centros Autorizados fixos).
TESE Prime: da Pós-Graduação para a Pós-Graduação.

 

Hélcio Lanzoni é doutor em Linguística Aplicada pelo Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). É professor de graduação e pós-graduação e Diretor de Exames da TESE Prime – Sistemas de Avaliação Linguística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *